10 de janeiro de 2014

Eu e as Barbies


Hoje, lembrei-me que o meu pai costuma dizer que eu era uma criança esperta e preguiçosa ao mesmo tempo. E das histórias que ele acha mais piada tem a ver com barbies.

Nunca fui uma criança muito ligada a barbies, nem nenucos. Uma vez tive um nenuco que fazia xixi e estava muito entusiasmada com o nenuco quando o recebi, mas a partir do momento (5 minutos depois) que percebi que mal punha a água na boca do nenuco, ele a deitava logo fora pelo buraco de baixo, vi logo que aquilo era uma engenharia muito rasca e nunca mais peguei no nenuco. 

Mas esta história tem a ver com as barbies e não com os nenucos. Sempre fui uma criança de rua. Andar a correr dum lado para o outro, andar de bicicleta, andar de skate, jogas às escondidas ou à apanhada, tudo o que se podia fazer na rua. Mas nos dias de chuva em que não se podia ir para a rua, lá ia eu à minha caixinha de barbies desarrumá-las um bocado.

Ainda cheguei a ter umas poucas barbies verdadeiras, mas o resto eram daquelas rascas da loja dos 300 que as pessoas insistiam em dar-me. A única coisa que eu fazia com as barbies ou era cortar-lhes o cabelo ou era combinar as roupitas com os sapatos. E aqui vem a parte em que o meu pai acha piada. Às vezes, tinha uma roupa vestida numa das barbies, mas queria aquela roupa vestida noutra barbie. Preguiçosa e esperta como era, em vez de despir a barbie e vestir a outra, trocava-lhes as cabeças e pronto! Ficavam as duas de roupa trocada de forma simples e eficaz. Poupava tempo e trabalho.

3 comentários:

  1. Olha eu tinha somente 2 barbies verdadeiras e...e....! lol eram muito caras para a época :P

    ResponderEliminar

Sempre que possa, vou responder aos vossos comentários directamente por aqui.

E comentários insultuosos serão respondidos igualmente com insultos, depois não digam que eu não avisei ;)

Beijo*